PNL e Coaching

Pergunta frequente: qual é a relação do Coaching com a PNL –  Programação Neuro Linguística?
(esta é uma questão que me colocam muitas vezes em workshops, cursos ou consultas)
Podia definir o coaching como um conjunto de processos e modelos, baseados numa atitude interrogativa e de grande respeito pelo potencial do outro, que ajudam a pessoa a sair de onde está para chegar onde ela quer.

                Numa das primeiras obras publicadas sobre Coaching, “The Inner Game of Tennis”, Tim Gallwey observou que o jogo interior  (o que se passa na cabeça do jogador) é tão ou mais importante do que o exterior (o que ele faz com o seu corpo).

                O estudo e transformação da experiência subjectiva é a grande área de trabalho da Programação Neuro Linguística. Experiência subjectiva é o ‘inner game’, o jogo interior composto de imagens e diálogo interno, sensações e pensamentos.
                A  PNL começou, nos anos 70, com uma atitude de enorme curiosidade perante as estratégias de sucesso de grandes comunicadores.        

Essencialmente, a PNL:

  • Traz ao consciente processos inconscientes.
  • Identifica e actua nas estruturas que estão na sua origem.
  • Trabalha em aliança com o Inconsciente.
  • Dá uma grande importância à Acuidade Sensorial – observação e reconhecimento da informação recolhida pelos sentidos e pelas sensações do corpo.
  • Baseia-se numa atitude de flexibilidade (se aquilo que faz não funciona, faça diferente) e de enorme respeito e curiosidade pelas pessoas.

                A PNL utiliza alguns pressupostos que funcionam como crenças potenciadoras de resultados de qualidade como são os seguintes:

  • Não existem pessoas sem recursos, apenas estados sem recursos.(Ninguém É errado ou É limitado).
  • O mapa não é o território.(As pessoas reagem ao seu próprio mapa e as palavras que empregamos não são a realidade que descrevem).
  • Todos os comportamentos têm uma intenção positiva. (Descubra o que está por detrás dos comportamentos, o que os motiva e sustenta).
  • Respeite o modelo do mundo de cada pessoa.(Só assim pode aspirar a comunicar com o outro e modificar o seu mapa e comportamento).
  • Não existe fracasso, apenas informação (feedback/aprendizagem). (Utilize tudo que acontecer para aprender, crescer e avançar).

                Não é este o local para discutir estas afirmações. Só é preciso notar que não as tomamos como verdadeiras mas sim como úteis, o que é uma distinção muito importante, na PNL.

                A arte do coaching, tal como o praticamos dentro da PNL, implica estabelecer uma relação de qualidade com o cliente, definir objectivos bem formulados e contribuir para abrir o seu modelo do mundo, ampliando o campo das possibilidades.
                Algumas perguntas úteis, colocadas nos momentos certos, são:

  • Como faz isso que faz?
  • De onde vem isso que sente?
  • O que há atrás disso?
  • O que isso faz por si?
  • Isso é como o quê?
  • O que é ainda mais importante do que isso?
  • Qual é o resultado (previsto ou imprevisto, desejado ou indesejado) para além do resultado que quer?
  • O que o impede de saber/ter/fazer/ir/conseguir?
  • O que aconteceria se nada o impedisse?
  • Qual é a intenção positiva disso de que não gosta?
  • Em que pessoa se pode transformar quando conseguir?


Dois grupos de Perguntas bem diferentes

Atente à progressão das perguntas: qual dos grupos acha que conduz a melhores respostas?

Grupo A

1. O que está(s) errado? .

2. Porque falhas? De que forma tens falhado?

4. De quem á a culpa deste problema?.

4. Como tens falhado na resolução disto? 

Grupo B

A metodologia de questionamento do Coaching está incluído na seguinte sequência de perguntas, concebidas e ordenadas para tirar a pessoa do espaço Problema-Limites e levá-las para o espaço Solução –Possibilidades.

1. De que forma não tem funcionado?

2. O que causou esta dificuldade ou desafio?

3. Como podes ultrapassar esta situação?
4. O que gostarias de mudar?

5. Quando irás impedir que isto seja uma limitação?

6. De que formas saberás que terás resolvido isso? É importante saber como será evidenciada a solução. O que realmente ela tornará diferente e como será observada.

7. O que vais fazer diferente? Acção, acção e mais acção, iniciada, determinada e consequente.

8. Porque isso é importante para ti? Não há acção eficaz e continuada que não esteja sustentada por valores e pela motivação que a sua satisfação assegura. Porque é importante atingires os teus objectivos e desfrutares dos seus resultados? O que te motiva? Esta é uma das raras circunstâncias em que utilizamos o ‘porquê?’

NOTAS:  
Como referi acima, na PNL dizemos que não há falhanço, há feedback. Ou seja, o erro só interessa como indicador de um comportamento que não funciona.
A culpa é um conceito tóxico que podemos sempre substituir pelo de reparação. Saber causas pode ser útil embora raramente seja a fonte da solução.

Desfruta dos resultados! Na PNL temos sempre o foco nos resultados. O que vamos obter e desfrutar ao atingir os nossos objectivos. Desfrutar e celebrar é uma das mais preciosas atitudes na vida!

                Mais do que o Coaching em geral, a PNL tem uma orientação para atender à experiência subjectiva das pessoas, bem como técnicas de comunicação com o Inconsciente.
De certa forma, a PNL faz a ponte entre Coaching e Hipnose.

Adicionalmente, e muito importante, a PNL traz ao Coaching clássico uma atitude pragmática que não hesita em utilizar técnicas muito eficazes para resolver rapidamente impedimentos ao processo de crescimento e mudança das pessoas.
Estas técnicas, que têm sido desenvolvidas pelos fundadores e continuadores da PNL,  devem ser aplicadas por praticantes devidamente credenciados.

Terei todo o gosto em ajudar num processo e Coaching ou numa formação de PNL.

Deixeo seu comentário